MENU





quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Escolas Particulares do RS Terão Reajuste Médio de 7,5% em 2018

https://4.bp.blogspot.com/-UlM6SZiGNgo/WjyxwzcZMSI/AAAAAAAAB64/zw7HiLIb-1kZM6ay9hjRaSvV84VaeBGqACLcBGAs/s1600/Escolas%2BParticulares%2Bdo%2BRS%2BTer%25C3%25A3o%2BReajuste%2BM%25C3%25A9dio%2Bde%2B7%252C5%2525%2Bem%2B2018.jpg
O reajuste nas mensalidades escolares no Rio Grande do Sul para o próximo ano será de 7,5% em média. O índice foi divulgado ontem pelo Sindicato do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinepe/RS), que realizou levantamento junto a 110 escolas associadas à entidade, 31,1% do total de instituições do Estado.

Trata-se do menor percentual aplicado às mensalidades desde 2013. Entretanto, a diferença do reajuste para a inflação é a maior já registrada pelo levantamento. Com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) no ano previsto para 2,84%, o reajuste médio é 2,6 vezes maior do que a inflação.

Entretanto, o sindicato identificou que a atualização da mensalidade pode chegar a até 14,7% nas escolas. Já na educação superior, o reajuste médio será de 5,7%, segundo levantamento com 13 instituições. A entidade sustenta que a inflação oficial não representa os custos reais dos colégios.

– O IPCA é só um dado oficial. Se vamos investir na parte de informática, por exemplo, os valores são em dólar. Ou se o investimento for em um ginásio, o preço da construção do metro quadrado também não é pelo IPCA – defende o presidente do Sinepe/RS, Bruno Eizerik.

Critérios legais e situação da comunidade

O dirigente garante que as instituições seguem critérios legais para o reajuste, com base em uma planilha de custos. E, entre eles, o maior é o de pessoal, que deve seguir no topo no próximo ano, comprometendo quase 70% do orçamento. 

O estudo revela que o percentual médio de aumento de custos das escolas em 2017 foi de 9,3%, e a previsão para 2018 é de 8,2%. Para 43,6% das instituições que responderam ao Sinepe, a alta das despesas ao longo deste ano foi maior do que a previsão inicial, feita no final de 2016.

– As escolas são sensíveis. E antes de definir os reajustes, elas já levaram em conta a situação da comunidade onde estão. Não se olhou somente para uma planilha, não. E os diretores, se procurados pelos pais, irão explicar tudo o que a escola fez para segurar o reajuste da mensalidade – afirma Eizerik.
https://4.bp.blogspot.com/-sJJR6_S48ag/WjyzQb7k8JI/AAAAAAAAB7E/I8fDuLpTDBYluBcZ2DUBJnLnYBNSieIcACLcBGAs/s1600/Escolas%2BParticulares%2Bdo%2BRS%2BTer%25C3%25A3o%2BReajuste%2BM%25C3%25A9dio%2Bde%2B7%252C5%2525%2Bem%2B20181.jpg

FONTE: GAÚCHAZH

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
http://www.debit.com.br/


Cotações de Commodities fornecidas por Investing.com Brasil.